Como escrever uma declaração pessoal

A declaração pessoal é a parte mais crucial da sua aplicação. Acertá-la é fundamental. Ela tem cerca de duas páginas que descrevem quem você é, suas experiências de vida, acadêmicas e no mercado de trabalho, o que você deseja alcançar e porque você está aplicando para aquela universidade em particular. Ela complementa o seu currículo ou o seu CV, destacando e expandindo os pontos mais importantes da sua vida.

Se você tem boas notas e boas cartas de recomendação, a sua declaração pessoal é o que vai te ajudar a se destacar dos outros aplicantes que, como você, também têm boas notas e boas cartas de recomendação. Ela é o grande elemento diferenciador. Geralmente, uma ótima carta pessoal vai te fazer ser aceito pela universidade de sua escolha; já uma declaração medíocre, não.

As 5 principais coisas que os comitês de admissão procuram em declarações pessoais

Os comitês de admissão universitários frequentemente analisam pilhas de aplicações para preencher algumas poucas vagas. Nós sabemos disso por experiência própria – somos professores!

Boas notas são requisito mínimo – você precisa tê-las para ser considerado. Uma boa carta pessoal, entretanto, pode te colocar na frente até mesmo de alguém com notas melhores do que as suas.

1

Encaixe perfeito

Acima de tudo, quando os comitês de admissão leem declarações pessoais, eles estão à procura de um encaixe perfeito: alunos cujos interesses e metas estão completamente de acordo com o programa e com o corpo acadêmico.

Dica: Leia a ementa do programa com muito cuidado e procure conhecer o background do corpo acadêmico. Em seguida, escreva sua declaração pessoal focando nos pontos fortes do programa. Explique porque este programa é ideal para você.

2

Desejo de ajudar

Você quer ajudar seus conterrâneos? Tem vontade de criar mudanças para os alunos que você ensina? Quer proteger o meio ambiente? Salvar o mundo? Fazer algum tipo de diferença?

Expressar o seu desejo de fazer alguma coisa para além de ficar rico e famoso será excelente para mostrar ao comitê de admissão que te aceitar é uma boa ideia. Eles querem saber que seus estudos vão resultar em conhecimentos que serão utilizados para finalidades positivas.

Dica: Inclua na sua declaração pessoal a razão pela qual você quer seguir sua área de estudo. Qual é o seu objetivo final?

3

Experiência de vida

Se você tem boas notas, mas não tem feito muita coisa com a sua vida além de estudar e aproveitar o seu tempo livre, você não vai interessar tanto ao comitê de admissão. Os membros dos comitês não buscam apenas estudantes com backgrounds relevantes; eles procuram também aqueles com histórias interessantes e variadas.

Dica: Faça uma lista de todas as coisas interessantes que você já fez na sua vida. As mais valiosas para um comitê de admissão são aquelas que te ensinaram alguma lição de vida. Aprender a pular de paraquedas não é particularmente interessante; ser tutor do filho de um amigo, contudo, é. Pode ser algo tão simples quanto um trabalho como assistente de escritório que te ensinou a ser mais humilde.

Inclua na sua carta pessoal as coisas mais importantes que você já fez e que te fizeram crescer como pessoa. Explique, se você puder, como elas são relevantes para a sua área de estudo e para a carreira que você pretende seguir.

4

Vontade de explorar novos caminhos

Nem todos os estudantes desejam se tornar acadêmicos. Se você, contudo, busca seguir na sua área de estudo para realizar uma nova pesquisa ou estudar algo que ainda não foi explorado, isso é bastante valioso.

Dica: Inclua na sua declaração pessoal, caso aplicável, suas metas acadêmicas/de pesquisa.

5

Desejo de estudar com professores específicos

As escolas se orgulham de seus professores – e eles geralmente têm voz no processo de escolha dos alunos que irão se juntar aos seus programas. Se você quer muito estudar com um acadêmico específico, coloque na sua declaração pessoal!

Dica: Pesquise sobre os professores que ensinam no programa que você deseja ingressar. Há alguém cujo trabalho é significativo para você? Que tem ideias com que você concorda? Inclua essas observações na sua carta pessoal.

Considerações finais sobre as declarações pessoais

Escrever uma declaração pessoal não é complicado. Entretanto, como você precisa se colocar na posição de um membro do comitê de admissão, uma perspectiva interna pode fazer toda a diferença.

Se há, contudo, uma coisa que você NÃO deve fazer é dizer como você é bom. Seu objetivo deve ser fazer o comitê de admissão achar que você é bom, mas sem dar a impressão de que você é convencido. Ninguém gosta de pessoas prepotentes!

Para mais ajuda na elaboração de uma ótima declaração pessoal, entre em contato com a gente. Nós ficaremos felizes de responder qualquer dúvida que você tenha e de melhorar aquilo que você já escreveu.

Também disponível em: enEnglish esEspañol